Historial

Breve Historial

O Centro de Cálculo do ISEL (CCISEL) constituiu-se como órgão autónomo em 1975, e tomou a seu cargo a dinamização no ISEL do estudo de sistemas digitais, microprocessadores e ciências da computação. A actividade do centrctio exerce-se em quatro domínios que se consideram indissociáveis:

  • Actividade pedagógica.
  • Acções de formação e reciclagem.
  • Consultadoria especializada.
  • Investigação e desenvolvimento.

A investigação e desenvolvimento constitui o motor das outras actividades na medida em que, é através dela, que se adquirem novos conhecimentos, o saber fazer e a necessária e constante actualização no domínio das novas tecnologias. Através da actividade de investigação e desenvolvimento, o centro tem contribuído para prestigiar a imagem do ISEL e das suas potencialidades.

Os projectos são desenvolvidos por equipas mistas de docentes e alunos, realizados ao abrigo de protocolos celebrados entre o ISEL e entidades públicas ou privadas. Estes projectos têm incidido nas seguintes áreas:

  • Sistemas dedicados.
  • Processamento digital de sinal.
  • Redes de comunicação de dados.
  • Engenharia de software.
  • Segurança informática.

Paralelamente às actividades de investigação e desenvolvimento, o centro tem mantido com continuidade, acções de formação e reciclagem de quadros técnicos, em colaboração com instituições e a indústria.

Nos últimos anos têm vindo a aumentar as actividades no domínio da consultadoria técnica especializada nas áreas de engenharia de software, processamento digital de sinal e segurança informática, fornecida a diversas empresas e instituições.

Do conjunto destas actividades, face à inexistência de estruturas orgânicas até 1994, resultou uma participação activa em sucessivas reestruturações e na criação e coordenação de novas disciplinas nos cursos relacionados com os domínios em que o centro desenvolve actividades. Estando o ISEL organizado em departamentos desde então, o centro tem continuado a colaborar na organização e reestruturação de unidades curriculares dos cursos leccionados no âmbito do Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores (DEETC), com maior incidência no curso de Engenharia Informática e de Computadores. Durante o ano de 2006, os membros do Centro participaram activamente nos processos de adequação e criação de cursos leccionados no DEETC, com especial ênfase na adequação da LEIC (Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores) e na criação do MEIC (Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores).

Historial Detalhado

O CCISEL foi fundado, no ano lectivo de 1973-1974, ainda no âmbito do Instituto Industrial de Lisboa, com o objectivo de criar condições aos docentes de matemática para desenvolverem trabalho no domínio das matemáticas aplicadas.

O Decreto Lei n.º 830/74, ao integrar o IIL no ensino superior como ISEL, veio permitir a concretização e ampliação dos objectivos iniciais. Foi dotado com dois terminais time-sharing e foram criadas possibilidades para os alunos utilizarem o computador do CCUTL localizado no IST.

Ainda em 1974, foram leccionados cursos de programação (FORTRAN e BASIC) como formação complementar aos alunos finalistas do IIL.

Em 1977, foram adquiridos os primeiros kits de microprocessadores, e o centro tomou a seu cargo dinamizar no ISEL o estudo dos sistemas digitais e dos microprocessadores criando know-how e produzindo suporte pedagógico para introduzir progressivamente novas disciplinas no curriculum do curso de Bacharelato em Engenharia de Electrónica e Telecomunicações.

Em 1978, desenvolveu-se o primeiro projecto baseado em microprocessadores, em colaboração com a agência noticiosa ANOP. Consistiu num Sistema Controlador Programável para Canais de Informação, destinado a encaminhar automaticamente o serviço noticioso dessa agência pela rede de telex, para os diferentes clientes, em função de códigos inseridos no cabeçalho das notícias.

Nesse mesmo ano, decorreram também os primeiros cursos livres sobre microprocessadores, destinados a alunos do ISEL e a entidades externas.

Em 1979, o CCISEL apresentou na ENDIEL um Sistema de Desenvolvimento baseado no CPU 8080, que proporcionava facilidades de debugging de software e hardware, programação de EPROM e emulação de alguns CPU de 8 bits.

Ainda em 1979, foi projectado o Sistema de Cifra Offline de Mensagens Telex, para a CHERET (Chefia do Serviço de Reconhecimento das Transmissões) do Exército Português, industrializado pela Standard Eléctrica e ainda hoje em uso nas forças armadas e militarizadas e nas comunicações do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

No ano lectivo de 1979/1980, mercê do conhecimento e do know-how entretanto adquiridos, promoveu-se a remodelação do curso de bacharelato em Engenharia de Electrónica e Telecomunicações no sentido de integrar, com maior eficiência, o ensino de sistemas digitais, microprocessadores e programação. Para tal foram desenvolvidos sistemas didácticos para apoio laboratorial a essas disciplinas, nomeadamente kits para o microprocessador 8085.

Em 1982, projectou-se, para a EDP, um sistema conversor de informação com suporte em papel perfurado, para disquetes de 8″ com formato IBM 3740.

Em 1983, projectou-se, para a ANOP, um sistema para edição, tratamento e expedição de serviço noticioso que suportava quatro terminais de redacção e no qual, pela primeira vez em Portugal, foram aplicadas técnicas de multiprogramação e multiprocessamento.

Em 1984-1985, desenvolveu-se um núcleo de multiprogramação (MX86) para os microprocessadores de 16 bits da INTEL com o respectivo Terminal Handler e Active Debugger. Este núcleo tem sido utilizado em todos os projectos envolvendo ambientes de multiprogramação desenvolvidos no centro, foi incluído no software de projectos de outras instituições de I&D, nomeadamente a EID (projecto do PABX suportado pela NATO) e a SIBS-Sociedade Interbancária de Serviços (Projecto DOV Data Over Voice, em colaboração com o CET de Aveiro).

Ainda nesse período, foi desenvolvido um Symbolic Debugger, para instalação em protótipos baseados nos microprocessadores de 16 bits da INTEL, por suporte ao teste de programas carregados a partir de sistemas de desenvolvimento. Este debugger foi utilizado em projectos do CCISEL, e de outras instituições, nomeadamente na EID e na Standard Eléctrica. Constituiu ferramenta indispensável no apoio das disciplinas curriculares e dos cursos de reciclagem ministrados no centro.

Em 1985, desenvolveu-se, para a agência noticiosa LUSA, novo sistema de edição, encaminhamento e tratamento de informação, dispondo de 16 terminais de redacção. Este sistema suportou a expansão da informatização, iniciada em 1983.

No ano lectivo de 1985-1986, considerou-se que estava adquirido know-how bastante para realizar uma remodelação profunda no curriculum do curso de bacharelato em Electrónica e Telecomunicações. Assim, foi criado o ramo de “Sistemas Digitais”, com a introdução de onze novas disciplinas nas áreas dos microprocessadores e da informática.

Em 1986, desenvolveu-se o núcleo de multiprogramação (MX51), para microprocessadores INTEL 8031/51, o qual tem vindo a ser integrado em projectos que envolvem ambientes de multiprogramação, nomeadamente em projectos realizados no CCISEL, na SIBS (SAM-Security Application Module, integrado no Serviço Nacional de Porta-Moedas Electrónico, agora designado por Porta-Moedas MULTIBANCO) e na SISTEL (obliteradores para o STCP-Serviço de Transportes Colectivos do Porto).

Em 1987, em colaboração com a SIBS, desenvolveu-se um PINPAD, componente de segurança dos Sistemas de Transferência Electrónica de Fundos, ligando à rede MULTIBANCO diversos equipamentos de “postos de venda”, contribuindo decisivamente para a generalização do serviço.

Ainda em 1987, foi desenvolvida uma arquitectura de rede local, denominada ISELNET, do tipo CSMA/CD com recuperação de erros utilizando o protocolo LAP-B, conforme a recomendação IEEE802.2, tendo em vista a sua utilização noutros projectos.

Em 1988-1989, mantendo a colaboração com a SIBS, deu-se continuidade ao projecto inicial do PINPAD, e desenvolveram-se os restantes módulos constituintes do Sistema de Transferência Electrónica de Fundos, nomeadamente: módulo POS (Point of Sale) simples que, em conjunção com o PINPAD, efectua o pagamento automático em estabelecimentos comerciais; módulo POS múltiplo que suporta uma rede de PINPAD; rede de POS; versão PINPAD com comunicação por infravermelhos; módulo de Cifra para Segurança na Comunicação em protocolo X25.

Em 1989, utilizando a ISELNET como suporte de comunicação, foram desenvolvidos os sistemas: de controlo de acessos, designado por TELEPONTO, para o Hospital de Reabilitação de Alcoitão; de controlo de iluminação artificial como complemento da luz natural, em colaboração com o LNEC, no âmbito do projecto de edifícios inteligentes (LNEC – 202/12/9617).

No ano lectivo de 1989-1990, mercê dos conhecimentos e know-how adquirido, foi dado suporte docente a doze das disciplinas do curso de estudos superiores especializados em Engenharia Electrotécnica de Sistemas e Comunicações, que teve início nesse ano lectivo.

Em 1990, foi concluído o projecto do sistema distribuído que suportou toda a informatização da LUSA, Agência de Informação, nomeadamente a gestão dos arquivos noticiosos de longa data. Desde essa data e até ao sistema ser desactivado em 2000, o CCISEL prestou consultadoria técnica especializada à LUSA envolvendo apoio à exploração e aspectos de concepção de sistemas de redacção.

Ainda em 1990, foram concluídos os projectos de duas versões de sistemas de criptofonia, uma via rádio e outra em canal telefónico, em colaboração com o Exército Português. O sistema criptofónico para comunicação via rádio foi industrializado em 1992, equipando actualmente o Exército Português.

Na continuidade dos projectos de componentes do Sistema de Transacção Electrónica de Fundos, foi feito um estudo de viabilidade económica e tecnológica de um terminal ATM (Automatic Teller Machine) para a PAPELACO.

Em 1990, na sequência do estudo anterior e em colaboração com a PAPELACO, foi desenvolvido um terminal ATM que ganhou um concurso público da SIBS, em competição com os mais importantes fabricantes mundiais de equipamentos deste domínio.

Em colaboração com a PETROTEC desenvolveu-se, em 1991, um sistema POS Out Door para pagamento automático de combustível em estações de serviço, sem intervenção do operador, e desenvolveu-se o suporte de integração de equipamento Schlumberger na rede MULTIBANCO.

Em 1992, em colaboração com a PETROTEC, projectou-se um sistema de Gestão de Abastecimento de Combustível a Frotas.

Em 1995, foi reformulado o sistema criptofónico para comunicação telefónica, desenvolvido anteriormente, integrando novas funcionalidades e actualizando-se o suporte tecnológico, com vista à sua imediata industrialização.

Em 1996, em colaboração com a SIBS e com o Grupo de Apoio à Industria Nacional (GAIN), desenvolveram-se dispensadores de títulos de transporte por Porta-Moedas MULTIBANCO para instalação fixa, em regime deself-service. Este sistema foi instalado em estações do Metropolitano de Lisboa.

Em 1996 foi realizado o estudo, levantamento das necessidades e especificação do futuro sistema informático da agência LUSA.

Em 1997 iniciou-se o projecto e o desenvolvimento de um sistema de segurança para comunicaçõesfacsimile, em colaboração com o Estado Maior General das Forças Armadas (EMGFA), Batalhão de Informação e Segurança Militar (BISM), Depósito Geral do Material de Transmissões (DGMT) e as empresas SETCOM e FATRÓNICA.

De 1997 a 2000 foi desenvolvido, em colaboração com a empresa GAIN, o parquímetro colectivo aceitando pagamento em moeda corrente e porta-moedas electrónico.

Em colaboração com a empresa OBLOG SOFTWARE S.A., foi desenvolvido em 1997 um gerador de código C++ para integrar numa ferramenta CASE object oriented.

De 1997 a 2003 foi prestada consultadoria especializada nas áreas de segurança e de processamento de sinal e imagem à DITRAM.

De 1998 a 2001 foi desenvolvido o dispensador de títulos de transporte por Porta-Moedas MULTIBANCO para instalação móvel, para utilização no interior dos transportes públicos.

De 1999 a 2001 o CCISEL participou no projecto Automatização nos Serviços de Atendimento ao Público (ASAP), no âmbito dos projectos mobilizadores para o desenvolvimento tecnológico do Ministério da Indústria e Energia, em colaboração com as empresas, GAIN, SMD e SIBS e com o INESC.

De 1999 a 2003, desenvolvimento de um sistema de segurança para comunicações na Rede Digital de Integração de Serviços (RDIS), destinado ao Exército Português, em colaboração com as empresas SETCOM e FATRÓNICA.

Em colaboração com a SIBS no projecto de um sistema de certificação foi desenvolvida, em 1999, uma biblioteca criptográfica para sistemas de chave pública.

Colaboração com a EID, de 1999 a 2001, na área de segurança, no projecto do equipamento rádio para o Exército Português.

De 1996 a 2000, foi prestada consultadoria especializada à SIBS na área da transacção electrónica de fundos, nomeadamente nos aspectos de segurança e no desenvolvimento de sistemas.

Em 2000 e 2001, prestou-se assessoria científica e técnica ao BISM, na área de segurança, no desenvolvimento de um sistema de transferência de informação segura, entre utilizadores ligados a uma rede de computadores, para o qual foi desenvolvida uma biblioteca de componentes COM e serviços criptográficos e de gestão de infra-estruturas de chave pública (SECNET-Secure Network).

De 2000 a 2002, foi prestada consultadoria técnica, nas áreas de projecto de sistemas dedicados, comunicações e de sistemas de aquisição e processamento de sinal e imagem, às OGMA no âmbito do projecto SEVIV – Sistemas de Ensaio e Vigilância por Infravermelhos, nomeadamente no sistema de vigilância.

De 2000 a 2002 o CCISEL participou, em colaboração com o Instituto de Telecomunicações nos projectos “Sistemas Integrados de Comunicação e Navegação” e “IMAPA – Integration of Stochastic and Structural Models in Image and Pattern Analysis”, e, também em colaboração com o DEETC e o Departamento de Física do IST, no projecto “Produção de sensores para aplicação em redes inteligentes de controlo”, integrados no programa PRAXIS XXI.

De 2000 a 2003 participou, em colaboração com a empresa FORNOCERÂMICA, no desenvolvimento de um sistema informático para controlo de fornos industriais para cerâmica, configurável e com possibilidade de utilização remota por vários utilizadores.

Em 2001 e 2002 foi realizada consultadoria especializada prestada à FORDETEC e à GAIN nas áreas das tecnologias de Internet e de engenharia de software.

Desde 2001 que tem sido prestada à Papelaco/DeLaRue consultadoria especializada sobre engenharia desoftware.

Desde 2003 que colabora com a SIBS no desenvolvimento do módulo criptográfico de chaves públicas, para geração de chaves e criação e validação de certificados.

Em 2003 e 2004 participou, em colaboração com o Instituto de Telecomunicações, no projecto DNURS -Development of a Navigation Users Receiver Simulator, tendo como principal objectivo a realização e validação dum receptor software para os sistemas Galileo e GPS.

Desde 2003 que presta à agência LUSA consultadoria técnica em análise e desenvolvimento de sistemas, com especial incidência no Sistema Informático da Redacção, no sentido de melhorar e actualizar os sistemas informáticos da agência.

Desde 2004 que desenvolve um sistema de detecção de veículos por indução para substituir o actualmente usado pela BRISA.

Em 2004 desenvolveu o Toolbar de CTI para Contact Center da Radiomóvel em parceria com a Graycell e Nextiraone. Desde então, presta consultadoria à PT Inovação e participa no desenvolvimento de software relacionado com adaptação de protocolos.

Desde 2004 que realiza consultadoria técnica especializada, para a agência LUSA, em análise e desenvolvimento de sistemas, no sentido de acautelar o cumprimento dos requisitos funcionais, tecnológicos e de desempenho do novo sistema de redacção em desenvolvimento pela Pararede.

Desde 2004 têm sido realizadas aplicações WEB para suporte a serviços do DEETC, tais como o site da Comissão Pedagógica e a gestão de pedidos de autorização de despesa.

Em 2004 e 2005, em colaboração com a Microsoft Portugal, organizou seminários relativos à plataforma .NET.

Em 2005, em colaboração com o Instituto de Telecomunicações, foi iniciado o projecto de investigação e desenvolvimento Alvos móveis em radar de abertura sintética transportado por plataformas não tripuladas, para a Marinha Portuguesa.

Em 2006, iniciou-se a colaboração com o Gabinete Nacional de Segurança, através do desenvolvimento de estudos e de projectos na área da Segurança Informática.

No ano de 2006 foram realizadas nove acções de formação na área de software, sendo duas delas relativas à programação em C++ e as restantes relativas à plataforma .NET 2.0. Os destinatários destas acções de formação foram: quadros da Siemens S.A., docentes de instituições de ensino superior, alunos do ensino superior, companhia de seguros Tranquilidade e formadores da Forino.

Durante o ano de 2006, e no âmbito do processo de Bolonha, os membros do Centro participaram activamente nos processos de adequação e criação de cursos leccionados no DEETC, com especial ênfase na adequação da LEIC (Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores) e na criação do MEIC (Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores).

Em 2007 foram realizadas sete acções de formação à medida, destinadas a quadros de empresas e a docentes de instituições de ensino superior. Estas acções de formação incidiram essencialmente na plataforma .NET nas versões 2.0 e 3.0, bem como no Visual Studio 2005 e no SQL Server 2005. Iniciaram-se projectos de desenvolvimento de software para as empresas Fordesi e ParaRede.

Nos últimos anos têm sido realizadas acções de formação e reciclagem de quadros técnicos, em colaboração com instituições e a indústria, designadamente: Ambiente de desenvolvimento para os microprocessadores de sinal da família TMS320XX, destinado a elementos do Exército Português; Redes de Comunicação de Dados, destinado à Força Aérea Portuguesa; Criptografia Computacional, destinado ao Batalhão de Informação e Segurança Militar; Desenvolvimento de Aplicações para Intranet, destinado à Rádio Televisão Portuguesa, à Papelaco PDSL e à Fornocerâmica; Criptografia Aplicada, Segurança em Sistemas de Comunicações e Transport Layer Security destinado à EID; plataforma .NET; programação em C++ para a Siemens S.A.

Algumas das actividades desenvolvidas têm sido publicadas em conferências e revistas da especialidade, no contexto da pós-graduação dos membros do Centro.